Notícias

Ministra do Mar: “Portugal não pode pescar a sardinha que não tem”

Ministra do Mar: “Portugal não pode pescar a sardinha que não tem”

A pesca excessiva de sardinha no passado provocou a redução deste peixe. Como consequência, os pescadores portugueses não podem pescar tanta sardinha como no passado, alerta a ministra do Mar.

“Nós não podemos pescar a sardinha que não temos. A sobrepesca permitida durante alguns anos fez com que o stock baixasse”, disse Ana Paula Vitorino em entrevista à rádio Antena 1 esta quinta-feira, 16 de maio.

A suspensão de pesca da sardinha foi adiada ontem até 3 de junho, com o peixe mais simbólico de Portugal, a par do bacalhau, a chegar a tempo dos Santos Populares.

Segundo explicou a ministra, a pesca da sardinha este ano vai estar dividida em duas etapas. A primeira decorre durante o mês de junho. Terminada esta etapa, será avaliada qual a quantidade de pesca de sardinha que será permitida na segunda fase.

Ana Paula Vitorino explicou que ainda não está totalmente fechada a quota de pesca permitida para a primeira fase, com Portugal a ficar com dois terços da captura, e Espanha com um terço.

“Estamos a falar de sete mil toneladas para a primeira fase, mas esses valores ainda não estão completamente fixados, poderão ter alterações”

Atualmente, existe uma proposta de 10.800 toneladas em cima da mesa, mas a ministra avisa que a Comissão Europeia é “muito exigente”.

“Os valores poderão estar um pouco acima do proposto pela Comissão Europeia, mas naturalmente que estará abaixo do que os pescadores gostariam e que nós também gostaríamos de autorizar”.

Os pescadores não têm dúvidas e defendem que seja aplicada uma quota de pesca de sardinha de 15 mil toneladas: “Esses valores são impossíveis”, respondeu a ministra do Mar.

Pesca da sardinha vai ser retomada a tempo dos Santos Populares


Fonte: Ministra do Mar: “Portugal não pode pescar a sardinha que não tem”