Notícias

CTT com melhor indicador global na qualidade de serviço nos últimos três anos

CTT com melhor indicador global na qualidade de serviço nos últimos três anos

Os CTT cumprem as metas de Qualidade de Serviço em 2018 e superam 2017.

O Indicador Global de Qualidade de Serviço dos CTT -Correios de Portugal, atinge os 150,2, um aumento de 40,8 pontos face a 2017, o que “representa o resultado do compromisso da Empresa na melhoria contínua dos serviços prestados às populações”, diz a empresa.

O Indicador Global de Qualidade de Serviço engloba onze indicadores específicos “e é dos mais exigentes e abrangentes, a nível europeu, em termos de diversidade de critérios, com diversas componentes relativas à entrega de correio, mas também ao tempo de fila de espera no atendimento”, contextualiza a empresa.

Os CTT excederam o objetivo em sete dos indicadores específicos e o mínimo em mais dois, “tendo alcançado o melhor resultado dos últimos três anos em cinco dos onze”, explica a instituição.

Destaque para cinco Indicadores de Qualidade de Serviço que também alcançam o seu melhor resultado dos últimos três anos. O correio normal melhorou quatro  décimas face a 2017 (96,3%); o correio registado melhorou quase um ponto percentual face a 2017 (93,7%); nas filas de espera os CTT registaram uma melhoria muito significativa, de 5,6 pontos (91,4%); no correio normal e azul não entregue até 15 e 10 dias úteis, respetivamente, também se registou uma melhoria dos indicadores (0,7‰ e 1,2‰).

Ainda “acima do respetivo valor mínimo mas abaixo do objetivo ficaram os indicadores relativos ao encaminhamento no Correio Azul nas Regiões Autónomas e o encaminhamento do correio transfronteiriço intracomunitário até cinco dias”, refere o comunicado.

“Nos restantes dois em que não se atingiu o mínimo, o Correio Azul no Continente melhorou nove décimas face a 2017”, refere a empresa liderada por Francisco Lacerda.

Portanto “abaixo do mínimo ficaram apenas o encaminhamento do Correio Azul no Continente, onde os CTT melhoraram o desempenho relativamente a 2017 em nove décimas, e o encaminhamento no correio transfronteiriço intracomunitário até três dias, o qual não depende apenas dos CTT, mas também dos operadores postais de outros países”, justifica a empresa.

Os CTT são sujeitos ao controlo da qualidade de serviço pela Anacom  e os objetivos de qualidade de serviços  estão previstos na lei e no contrato de concessão.

“Operando num mercado extremamente desafiante e onde a queda no tráfego de correio é estrutural”, os CTT dizem-se “empenhados na melhoria contínua dos seus serviços e têm vindo a diversificar o negócio, dando sustentabilidade à empresa e apostando nas alavancas de crescimento Expresso & Encomendas e Banco CTT, continuando o correio tradicional a ser uma atividade estratégica”.

“Os CTT continuam a trabalhar no reforço da qualidade do serviço postal e das condições de trabalho dos carteiros, para o que estão a investir 40 milhões de euros nos próximos dois anos”, anuncia a empresa liderada por Francisco Lacerda.

A empresa garante ainda que os Correios continuarão presentes em todos o território nacional, “assegurando os padrões de qualidade de serviço e densidade de rede definidos no contrato de concessão do Serviço Postal Universal que, recorde-se, não tem qualquer custo para os contribuintes”, lê-se na nota.

“Os CTT querem continuar a servir a população através da Prestação do Serviço Postal Universal, em condições de proximidade e razoabilidade e em linha com o que se verifica na Europa”, acrescentam

(atualizada)


Fonte: CTT com melhor indicador global na qualidade de serviço nos últimos três anos