Notícias

“Não lhe admito, ninguém o ofendeu”. Comissão parlamentar de Saúde causa polémica

“Não lhe admito, ninguém o ofendeu”. Comissão parlamentar de Saúde causa polémica

O presidente da comissão parlamentar de Saúde irritou-se hoje com o presidente demissionário do Centro Hospitalar de Leiria, acusando-o de estar a fugir às questões colocadas pelos deputados.

O presidente do hospital de Leiria, Hélder Roque, que apresentou a demissão no início deste mês, está hoje a ser ouvido na comissão parlamentar de Saúde da Assembleia da República sobre a situação vivida nas urgências, que PSD, CDS e BE descreveram como caótica ou dramática.

Hélder Roque, que recusou a adjetivação dos deputados, esteve mais de 20 minutos a tentar responder às questões colocadas pelos parlamentares, mas sem ir ao encontro das perguntas formuladas.

Sobre uma das questões colocadas pelo Bloco de Esquerda, o presidente demissionário considerou que tinha sido ofendido.

Matos Rosa, deputado do PSD que preside à comissão parlamentar de Saúde, teve de intervir, avisando o responsável de que não admitia a sugestão sobre ofensas por parte dos deputados.

“Não admito que entre nesse campo. Está aqui para responder às questões dos senhores deputados. Não diz que o senhor deputado o ofendeu, não lhe admito sequer isso, ninguém o ofendeu aqui. Não admito que ponha essa questão em cima da mesa. Tem obrigação perante os deputados e os portugueses de responder às questões. O senhor é funcionário público e tem de responder”, declarou, em tom irritado, o presidente da comissão parlamentar.

Matos Rosa reconheceu que foi “a primeira vez” que um episódio destes aconteceu na comissão parlamentar de Saúde, depois de já ter avisado mais do que uma vez o presidente demissionário do hospital de Leiria de que devia responder diretamente às questões colocadas.

Depois das perguntas dos deputados, Hélder Roque exibiu primeiro um vídeo promocional sobre o Centro Hospitalar e esteve depois cerca de 20 minutos a dar indicadores sobre a atividade, investimentos e planeamento do hospital.


Fonte: “Não lhe admito, ninguém o ofendeu”. Comissão parlamentar de Saúde causa polémica